segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

Oficina das Ervas Comestíveis





Parque Florestal de Monsanto (Lisboa) , 29 de Março, 9.45h


Que manjares se escondem em Monsanto?

Mais do que um regresso às nossas origens de recolectores-caçadores em que vamos “comer a paisagem” com novas propostas gastronómicas aliando a tradição destes alimentos esquecidos à inovação alimentar.

Saibamos agradecer a generosidade da Natureza!

Formadoras: Alexandra Azevedo e Fernanda Botelho
Investimento:
Sócios da Quercus, MPI e Slow Food: 20€ 
Não sócios: 25€ 

Acompanhantes: 6€ dos 13 aos 17 anos, 4€  Crianças dos 7 aos 12 anos. Gratuito para crianças até 6 anos

Inscrições limitadas até ao dia 23 de Março.
Dados necessários: Nome, n.º de contribuinte, morada e contacto
As inscrições serão confirmadas após da transferência bancária para o NIB: 003502390000603043019 da Caixa Geral de Depósitos. Enviar comprovativo para email:quercus@quercus.pt.
Contactos:quercus@quercus.pt, Telefone: 21 7788474
Pequena descrição / biografias das formadoras:
Alexandra Azevedo é médica veterinária e activista, inicialmente numa vertente mais ambiental que se foi convertendo numa abordagem mais abrangente fazendo jus ao conceito de sustentabilidade. Escreve regularmente artigos de divulgação e de opinião e organiza várias atividades práticas com destaque para o tema da alimentação. É sócia da QUERCUS – Associação Nacional de Conservação da Natureza, desde 1993, membro da Direção Nacional de 2005 a 2015. É sócia fundadora, e atualmente presidente da direção, do MPI - Movimento Pró-Informação para a Cidadania e Ambiente, oficializado em 2003. É representante do MPI na Plataforma Transgénicos Fora (PTF) e no CREIAS Oeste (Centro de Excelência Regional - criado em 2007 no âmbito da década para o Desenvolvimento Sustentável 2005-2014) e na Campanha pelas Sementes Livres. Coordena a Campanha da contra Herbicidas em Espaços Públicos, lançada em 2014 pela Quercus e PTF. É ainda associada da Colher para Semear – Rede Portuguesa de variedades Tradicionais e do Slow Food.
Fernanda Botelho viveu dezassete anos em Londres onde estudou e trabalhou sempre na área das plantas medicinais e da pedagogia Montessori e Waldorf. Em Portugal, desde 1998, tem participado em diversos projectos de educação ambiental, tanto em escolas como em associações. Realizou o curso de guia de jardim botânico na Faculdade de Ciências de Lisboa. É membro da Colher para Semear – Rede Portuguesa de variedades Tradicionais, da Sociedade Portuguesa de Botânica e da Herb Society, colabora no sítio francês «Herbalistes sans Frontières» e no «Portal do Jardim». Escreve regularmente para a revista Jardins e, além de As Plantas e a Saúde: Guia Prático de Remédios Caseiros, publicou vários livros infantis: Salada de Flores, Sementes à Solta e Hortas Aromáticas, todos eles recomendados pelo Plano Nacional de Leitura.